PEQUENA ENCICLOPÉDIA DE BERLIM PARA O TURISTA DE LÍNGUA PORTUGUESA
Informações sobre Berlim - Palavras-chave: Manufatura da Porcelana Real, Monumento de honra à Vitória Soviética, Monumento às Vítimas do Holocausto (Holocaust-Mahnmal), Muro de Berlim, Museu Alemão da Técnica (Deutsches Technikmuseum), Museu Judaico(Jüdisches Museum), Museu de História da Alemanha (Deutsches Historisches Museum)

M                                 A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M|N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

Manufatura da Porcelana Real (Königliche Porzellan Manufaktur, KPM) : A Manufatura da Porcelana Real foi fundada pelo rei Frederico, o Grande, com sede no centro da cidade antiga. Muitos anos após o fim da Monarquia, a empresa goza de grande popularidade por causa do acervo de finas porcelanas.

Märkisches Viertel : Assim denominou-se a cidade satélite a noroeste de Berlim, no bairro de Reinickendorf. Como a Gropiusstadt, essa região devia resolver os problemas relacionados à escassez de apartamentos no pós-guerra.

Mitte : Nome que se dá ao bairro situado no centro histórico de Berlim, vizinho aos bairros de Tiergarten, Kreuzberg, Schöneberg, Wedding, Prenzlauer Berg e Friedrichshain. Até o século XVIII, as fronteiras de Berlim se limitavam somente a esse bairro.

Monbijou : ''Minha jóia'', o castelo mais bonito da Dinastia Hohenzollern, às margens do Spree, próximo ao Hackescher Markt. Um bombardeio deixou o castelo destroçado, tanto que a restauração tornou-se inviável, devido os altos custos. O que restou é hoje um parque, por sua vez, o maior e mais bonito do bairro Mitte.

Monumentos comemorativos : Os mais populares se encontram no Treptower Park, Tiergarten e em Schönholz, para homenagear os soldados mortos durante a libertação de Berlim.

Monumento de honra à Vitória Soviética (Sowjetisches Ehrenmal) : Há vários monumentos que prestam homenagem aos soldados soviéticos em Berlim. Os mais importantes se encontram no Treptower Park, construído em 1949 para relembrar a morte dos 5.000 soldados soviéticos do Exército Vermelho, na Batalha de Berlim; o segundo fica em Tiergarten, e foi construído em 1945 com a mesma finalidade. 4 anos depois da guerra, o primeiro desses monumentos passou a servir como Memorial Central à Guerra da Alemanha Oriental.

Monumento às Vítimas do Holocausto (Holocaust-Mahnmal) : Este monumento presta homenagem a todos os judeus que morreram durante o regime nazista no Holocausto. Foi construído em maio de 2005 e é formado por 2.711 blocos de concreto, distribuídos ao longo de uma grande superfície, diferenciados quanto ao tamanho. É possível andar entre os blocos e ter a nítida sensação de estar num labirinto, provocada pela posição e altura dos blocos. Encontra-se no porão do monumento um centro de informação que possui em seu acervo uma série de depoimentos das vítimas desse genocídio.

Mühlenstraße : Rua onde atualmente se encontra o pedaço maior do muro de Berlim. Veja também 'East-Side Gallery'.

Muro de Berlim e Faixa da Morte : Desde seus primeiros indícios até o dia em que caiu, em 1989, o Muro de Berlim manteve-se 28 anos de pé e passou por diversas etapas de aperfeiçoamento. Em 1975 concluiu-se a última modificação do muro, dotando-o de 3,6 metros de altura e uma cerca de arame farpado com sistema de alarme conectado à mais de 300 torres de vigilância. No seu apogeu, o muro chegou a ter mais de 162 kilômetros de longitude.
Os lugares, onde hoje se pode ver os restos do muro são :
- Potsdamer Platz : onde sempre há turistas fotografando e gente disfarçada de soldados de vigilância para atrair ainda mais turistas.
- Topographie des Terrors : ao lado da exposição " Topografia do Terror", que é um dos muitos lugares de memória da história alemã, encontra-se um pedaço original do Muro.
- Bernauer Straße : além de restos desperços do Muro, encontra-se nessa rua, um memorial.
- East-Side Gallery : é o lugar mais interessante para se visitar, já que é onde, até hoje, mantém-se em pé o pedaço maior do Muro. Veja também East-Side Gallery na letra E.

Museu Alemão da Técnica (Deutsches Technikmuseum) : O Museu foi inaugurado em 1983 e dispõe de uma grande coleção de artefatos técnicos. Embora tenha sido inaugurado sob o nome de 'Museu da Técnica e dos Transportes' (Museum für Verkehr und Technik), em 1996 reabriu sob o nome de Museu Alemão da Técnica. Mesmo sendo o lema 'alles,was auf Räden ist' ou 'tudo o que anda de roda', o grande interesse do museu não se resume a isso, vai mais além. Propõe uma exposição de fabricação de tecidos, papel e jóias. O 'Spectrum' é um dos pontos fortes do museu, que conta com mais de 250 fenômenos físicos, entre eles, as ilusões acústicas e óticas, podendo ser experimentadas pelos visitantes. Um dos objetos expostos mais destacados é o primeiro computador do mundo, inventado por Konrad Zuse.

Museu Antigo (Altes Museum): Veja 'Ilha dos Museus'.

Museu Bode : Veja 'Ilha dos Museus'.

Museu Judaico (Jüdisches Museum) : O Museu Judaico, concebido por Daniel Libeskind, arquiteto de origem judaica, nascido na Polônia, é um exemplo impressionante da arquitetura do século XX. O plano, a forma, o estilo e a decoração tanto do interior como do exterior, ilustram a história e a cultura da comunidade judaica alemã, assim como as conseqüências derivadas do Holocausto. A exposição permanente reúne objetos, livros e fotografias que nos remetem à vida dos judeus. Nada referente à estrutura do museu é casual, posto que todos os elementos presentes simbolizam algo: as largas e estreitas galerias com o pavimento inclinado e as curvas em zig-zag são assim planejadas para dar aos visitantes a sensação de perda e deslocamento, o mesmo sentido pelos judeus durante a época do regime nazista. Às galerias, são seguidos espaços vazios, aos quais se quer representar o vazio que dominou com a destruição da vida e da cultura judaica em Berlim.

Museu Novo (Neues Museum) : Veja 'Ilha dos Museus'.

Museu de História da Alemanha (Deutsches Historisches Museum) : Depois da restauração do Zeughaus, o Arsenal da Família Real, situado na avenida Unter den Linden, instalou-se aqui o Museu de História da Alemanha que, com objetos da vida cotidiana alemã e obras de arte, ilustra a história do país desde a Idade Média até os dias de hoje.

Museu de Artes e Ofícios (Kunstgewerbemuseum) : Veja 'Fóro Cultural'.

Museu dos Huguenotes (Hugenottenmuseum) : Localizado no interior da torre da Catedral Francesa, o Museu dos Huguenotes mostra a história e o papel dos imigrantes calvinistas, provenientes da França, na vida cotidiana alemã. Além disso, na parte superior da torre, encontra-se um restaurante, de onde se obtém vistas incríveis da praça Gendarmenmarkt. Para saber mais sobre os calvinistas, veja 'Hugenotten'.

Museu de Pérgamo (Pergamonmuseum) : Veja 'Ilha dos Museus'.

Museumsinsel : Veja 'Ilha dos Museus'.

Aceitar

Usamos cookies. Este site tem alguns cookies que aprimoram a sua experiência de navegação. Ao utilizar o site você concorda com nossa política de cookies e privacidade